Vinícola UVVA: onde fica, quanto custa e como é o passeio?

Veja aqui tudo sobre a visitação à Vinícola UVVA, que fica em Mucugê, na Chapada Diamantina

A vinícola UVVA é para obrigatória para quem vai visitar a região de Mucugê, na Chapada Diamantina, e é apreciador de um bom vinho. Ou mesmo tem curiosidade em conhecer o enoturismo na Bahia e o funcionamento de uma vinícola, desde a plantação das uvas, passando pela fabricação da bebida até o consumo de vinhos.

História da Vinícola UVVA

Antes de entender o passeio turístico, que tal conhecer um pouco mais da história da Vinícola UVVA e como ela apostou no enoturismo da Bahia? Ela pertence à família Borré, de imigrantes europeus, que saiu do Rio Grande do Sul em 1980 e fundaram a Fazenda Progresso, na Chapada Diamantina. As primeiras apostas da fazenda foram plantações batatas, café, cebolas, tomates, mas não houve muito avanço.

Vinicola Uvva Serra do Sincorá
Vinícola UVVA nasceu em 2012 aproveitando o “terroir” singular da Chapada Diamantina

Em 2012 a Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia visitou a fazenda junto com representantes de entidades de Bordeaux e da Champagne. O objetivo era desenvolver um centro de pesquisas sobre o cultivo de uvas para vinhos finos na região. O projeto governamental acabou não dando certo, mas a família Borré seguiu com a ideia e, no mesmo ano, teve sucesso com suas primeiras vinhas plantadas de forma experimental.

Seguindo com os testes, a família Borré descobriu um “terroir” singular para o plantio de uvas. Nascia, então, o projeto da Vinícola UVVA. Terroir significa uma delimitação de terra que reúne características específicas (geografia, solo, temperatura, etc) para, neste caso, a produção de vinhos.

Onde fica a Vinícola UVVA?

Depois de conhecer um pouco sobre a história da Vinícola UVVA, é hora de falarmos sobre o passeio. Como dissemos, a vinícola fica na Fazenda Progresso, às margens da BA-142. Ela está a mais ou menos 25 minutos de carro de Mucugê, sentindo Ibicoara. A visitação é somente em horário agendado, marcado através do site, com horário pré-determinados. Ou seja, antes de iniciar seus roteiros turísticos pela região, confira logo horários disponíveis porque eles podem lotar.

A Vinícola UVVA oferece três opções de tour: Experiência UVVA, Entusiasta Sincorá e a Visitação. Cada um com preço, roteiros e horários diferentes. No fim do texto você confere todos os detalhes de cada um deles e o link para comprá-los.

Entrada Vinícola Uvva
Recomendamos chegar com 30 minutos de antecedência à vinícola. Foto: Vem pra Bahia

O tour começa no horário marcado e são feitos em grupos. Então, recomendamos chegar com 30 minutos de antecedência à vinícola para não pegá-lo no meio do caminho e perder as explicações dos enólogos e detalhes da visitação. Até porque esperar o início do tour curtindo o pavimento turístico do prédio e a belíssima vista panorâmica da Fazendo Progresso já vale o passeio.

Sala de espera Vinícola Uvva
Vinícola traz edificação de alto padrão arquitetônico em harmonia com vinhedos e meio ambiente. Foto: VPB

Você será recepcionado pelos funcionários da Vinícola UVVA assim que descer do carro e eles o levarão justo à sala de espera. O prédio impressiona logo de cara: uma edificação de alto padrão arquitetônico construída em harmonia com os vinhedos e o meio ambiente. O projeto, assinado por Vanja Hertcert, aposta em tendências contemporâneas como linhas retas, fachada ventilada e utilização de vidro. Um luxo que já vale ótimas fotos e selfies. O passeio guiado dará mais detalhes sobre a construção.

Varanda da Vinícola Uvva
Pavimento turístico da Vinícola Uvva é um convite a fotos e selfies. Foto: Vem pra Bahia
Como é o passeio na Vinícola UVVA?

O pavimento turístico oferece uma visão panorâmica do vinhedo, que chega a uma extensão de 80 quilômetros, tendo a Serra do Sincorá como pano de fundo. A varanda é um belo convite para degustação e contemplar a paisagem da Chapada Diamantina. No mesmo pavimento, você pode conferir a loja de vinhos.

A exceção da visitação simples, o tour vai te levar para os demais ambientes do prédio, sempre na companhia do enólogo. O segundo ambiente abriga laboratório, área de enologia, salas de curso e de degustação, além dos setores administrativos. O terceiro está ocupado pela produção propriamente dita, que inclui etapas como a vinificação e o engarrafamento dos vinhos.

Cave Vinícola Uvva
Na cave você vai se deparar com centenas de barris de vinho armazenados. Foto: Vem pra Bahia

No subsolo tem a visitação da cave. É lá onde você vai se deparar com centenas de barris de vinho armazenados antes de irem para a garrafa. O visitante também terá a sensação de estar literalmente inserido no terroir da Chapada Diamantina. Por último, voltamos ao pavimento turístico para a melhor parte do passeio: degustação de vinhos. Você vai experimentar alguns rótulos e conhecer mais sobre sabores e harmonização. Mas cuidado para não exagerar na degustação. Lembre-se que você vai pegar estrada!

Degustação Vinícola Uvva
Você vai experimentar alguns rótulos e conhecer mais sobre sabores e harmonização. Foto: Vem pra Bahia
Restaurante Arenito

Depois do passeio, a depender do horário, você tem a opção de almoçar no Restaurante Arenito, que fica na vínicola. Ele também funciona sob reservas pelo site, mas como visitamos em um dia mais vazio, conseguimos mesa para almoçar lá na hora mesmo. E cardápio vale muito a pena, com uma culinária moderna e pratos autorais. O restaurante Aretino fica aberto das 12h às 18h. A partir das 17h, somente serviço de wine bar. O valor da reserva é revertido em consumação.

Restaurante Arenito
Restaurante Arenito é mais uma opção para quem visita a Vinícola Uvva

Mesmo se você não estiver afim de conhecer o restaurante é possível ficar na varanda do prédio degustando os rótulos. Você recebe um cartão de consumo logo na chegada e pode usá-lo na maquininha à disposição dos visitantes com doses de todos os rótulos da Vinícola UVVA. São eles: Sauvignon Blanc, Chardonnay, Diamã, Cordel, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Cabernet Franc.

Além da venda na loja da vinícola, eles estão disponíveis para compra no site da UVVA. Agora que você ficou por dentro do passeio na Vinícola UVVA, que tal conhecer mais sobre Enoturismo na Bahia? A produção de vinhos no estado está concentrada em duas regiões: na Chapada Diamantina e no Vale do São Francisco. Ao todo são seis vinícolas! Confira aqui nossa matéria sobre enoturismo na Bahia e como visitar as vinícolas.

Quanto custa tour na Vinícola Uvva?

Experiência UVVA é um passeio completo de duas horas. Na companhia de um enólogo, você vai conhecer o projeto da Vinícola UVVA, particularidades da região, incluindo visita ao vinhedo. A experiência inclui, ainda, a visita à área de vinificação e área técnica das salas de tanque e cave. No final do tour, o visitante tem direito a degustação de quatro rótulos, dois brancos e dois tintos. O valor deste tour é R$ 310 por pessoa e é oferecido de terça a domingo, 9h30 e 14h. Faça a reserva aqui.

Entusiasta Sincorá é um passeio com duração de uma hora. A visitação também é com um enólogo, que vai apresentar o projeto da vinícola, mas sem passar pelos vinhedos. Os visitantes têm a oportunidade de conhecer a cave onde os vinhos estagiam e de degustar de dois rótulos, um branco e um tinto. O valor é de R$ 220 por pessoa e este tour é oferecido de terça a domingo 9h30, 11h, 14h e 16h. Faça a reserva aqui.

Visitação permite o acesso ao pavimento turístico do prédio da vinícola, ao wine bar e à loja, onde o valor investido pode ser revertido na compra de vinhos, desde que sejam adquiridas pelo menos duas garrafas. O valor é de R$ 160, oferecido de terça a domingo. O tempo de permanência poderá ser até o encerramento de nossas atividades: pela manhã até às 12h e à tarde até às 17:30. Faça a reserva aqui.

Todos as opções acontecem também as feriados e comportam grupo de no máximo oito pessoas. Os ingressos têm a opção de meia-entrada, mas é proibida a entrada de menores desacompanhados.

Está passando por Mucugê? Aproveite para visitar o Projeto Sempre Viva e se deliciar com um banho na cachoeira do Tiburtino. Visite também o Museu do Garimpo para conhecer a história do diamante na região e não deixe de conhecer o Cemitério Bizantino de Mucugê. Só existem dois do tipo no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Article

Chapada Diamantina: desvendando as maravilhas do coração da Bahia

Next Article
Cemitério Bizantino Mucugê

Cemitério Bizantino de Mucugê: conheça a história e como visitar

Related Posts