Cemitério Bizantino de Mucugê: conheça a história e como visitar

Cemitério Bizantino de Mucugê, na Chapada Diamantina, é um dos principais atrativos visitados na região
Cemitério Bizantino Mucugê

Um dos símbolos da bela cidade de Mucugê, na Chapada Diamantina, é um cemitério. Isso mesmo, um cemitério. E ele é dos atrativos turísticos mais conhecidos e visitados da região. O Cemitério Bizantino de Mucugê, também conhecido como Cemitério de Santa Isabel, foi construído ainda no século XIX, por volta de 1850-1886, e chama atenção por sua importância histórica e cultural para a cidade.

Chapada Diamantina por menos de R$1 mil saindo de nove capitais

O Cemitério Bizantino de Mucugê fica ao pé de um grande paredão de rochas, à beira da BA-142, em frente a uma das várias entradas da cidade. Assim, o lugar se confunde com a própria paisagem de Mucugê. As lápides brancas, no estilo gótico, são destacam. São dezenas delas, que se parecem com pequenas igrejas. Em 1980, o cemitério foi reconhecido como patrimônio histórico e paisagístico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Cemitério Bizantino Mucugê 2
A visitação é bem rápida e gratuita, sem a necessidade de guia. Foto: Vem pra Bahia
Por que o nome Cemitério Bizantino?

Erguido por causa de surtos de cólera e varíola que atingiram a região, a história conta que o cemitério de Mucugê recebeu este nome por influência de turcos compradores de diamantes na época de grande exploração do mineral, na Chapada Diamantina. Vale lembrar que foi na cidade de Mucugê onde os garimpeiros encontraram as primeiras pedras do mineral.

As lápides brancas, então, seriam uma referência as cúpulas brancas construídas pelo Império Bizantino, às margens do Mar do Egeu, durante os séculos 10 e 11. Alguns barões do diamante daquela época chegaram, inclusive, a trazer arquitetos do exterior para que pudessem criar os mausoléus da família.

Cemitério Bizantino de Mucugê
Cemitério Bizantino foi reconhecido como patrimônio histórico pelo IPHAN. Foto: Vem pra Bahia
Como visitar o Cemitério Bizantino?

A visitação é bem rápida e gratuita, sem a necessidade de guia. É permitido inclusive tirar fotos. O cemitério fica ainda mais destacado à noite, quando recebe iluminação e forma uma interessante combinação junto à parede rochosa.

Depois do reconhecimento do IPHAN, o Cemitério Bizantino de Mucugê virou motivo de polêmica. Em nome da preservação, novos sepultamentos foram proibidos, causando muitas queixas entre os moradores da cidade. Para resolver o problema e continuar com sepultamentos na cidade, a prefeitura acabou tendo que construir uma extensão no cemitério, na parte plana do terreno, mas com gaveteiros. Os jazigos mais antigos, os que ficam entre as rochas, estão preservados até hoje.

Cemitério Bizantino na Rede Globo?

O Cemitério Bizantino de Mucugê já teve seus 15 minutinhos de fama. Ele ganhou projeção nacional quando serviu de cenário para a novela Pedra Sobre Pedra, da Rede Globo, em 1992. Ali, ocorreu um sepultamento na cidade fictícia de Esplendor. O episódio deu grande visibilidade ao cemitério e também à cidade de Mucugê, estimulando o turismo na região.

Cemitério Bizantino de Mucugê
Cemitério é dos atrativos turísticos mais conhecidos e visitados da região. Foto: Vem pra Bahia
Sobre Mucugê

Cidade com pouco mais de oito mil habitantes, Mucugê é uma das cidades mais excêntricas da Chapada Diamantina. Rodeada de montanhas e cachoeiras, é um dos destinos mais visitados da região e fica a 455km da capital baiana, Salvador.

Além disso, é ponto de partida ótimos roteiros turísticos para visitação, como o Poço Azul, o Projeto Sempre Viva, com trabalho de preservação da flora regional, e o Museu do Garimpo, que conta a história do extrativismo da Chapada Diamantina,. Não podemos esquecer de citar a Vinícola UVVA (veja aqui onde fica, como é e quanto custa o passeio), além do Cemitério Bizantino. Mucugê também é bastante conhecido e procurada por seus festejos juninos.

Como Chegar a Mucugê?

Saindo de Salvador, você precisa pegar a BR-324 até Feira de Santana. Em seguida, seguir até o entroncamento do Paraguaçu e BR-242. Depois de passar pela cidade de Itaberaba, 80km à frente, virar à esquerda para entrar na BR-142 sentido Mucugê/Andaraí.

De ônibus, a companhia rodoviária Cidade Sol faz o trajeto Salvador-Mucugê, saindo do Terminal de Salvador em ônibus convencional. A viagem dura em torno de 8h e a passagem custa, em média, R$ 137 por pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Article

Festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia tem simbologia histórica para o turismo religioso

Next Article

Mucugê: visite o Projeto Sempre Viva e a Cachoeira do Tiburtino

Related Posts